Publicado por: Navegando com o vento | 7 de setembro de 2010

Partindo para um novo começo.

O meu contato com o Bali só começa em setembro de 2010, quando saio do Brasil para a ilha de Gran Canaria, a principal das Ilhas Canárias. Daniel me esperava no sul da ilha numa cidade chamada Mogan, cheia de veleiros e de bares e restaurantes que margeavam toda a marina gerando um clima romântico e bonito com uma temperatura muito agradável, pois esta região é bastante quente e ensolarada!

Antes de tudo, gostaria de comentar que recebi um sinal muito forte e que considero ser a forma mais clara de que eu estava fazendo a coisa certa: eu encontrei o Lars Grael no aeroporto de Lisboa quando estava indo para Gran Canaria! Era algo difícil de acreditar, estava eu seguindo para uma viagem de barco da Europa para ao Brasil, sem a menor experiência com barcos à vela e me deparo com uma figura que representa muito bem o Brasil neste ramo. Foi divertido porque eu nunca havia “tietado” ninguém antes e consegui coragem para abordá-lo, o mais engraçado de tudo isso, é que antes de eu me certificar que era ele mesmo pra poder evitar um mico, na televisão que estava ligada no salão onde fazíamos um lanche começou a passar uma reportagem sobre o Torben Grael e o Lars imediatamente grita para a sua esposa com orgulho: Olha o Torben! Aí eu não tive dúvida, é ele! Botei a vergonha de lado e fui até lá toda tímida perguntando: Com licença, você é o Lars? Ele se vira e me cumprimenta afirmando que o é, com bastante simpatia e satisfação e me pergunta meu nome, enfim, contei o que estava indo fazer, ambos me incentivaram e também foram muito simpáticos e ainda tirei uma foto histórica! Muito obrigada Lars e Renata pela atenção. Esse foi o melhor sinal, então só poderia seguir em frente mais segura e agradecida pela vida.

Voltando ao que interessa, o Bali, quando chego em Mogan não tive moleza fui logo começando a trabalhar, o barco havia sido comprado mas ainda faltavam alguns ajustes ao nosso gosto e segurança também. Começamos com a raspagem do casco do barco que já estava fora da água, depois o pintamos com anti-fouling. Após um mês, partimos para o norte da ilha para a o Muelle Deportivo de Las Palmas (capital de Gran Canaria), mas antes de chegar aí, ficamos ancorados na praia fora da marina de Mogan antes de partir e tive o pior momento de enjôo logo na primeira noite porque o mar estava muito mexido.

Não posso deixar de comentar sobre a beleza e o tamanho do aeroporto de Madrid, o ambiente recebe iluminação e climatização natural (quando possível), seguem as fotos.

Drika.


Responses

  1. solo un gran abrazo. es mi tercero y no publicaron ninguno.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: